Booming Tech Hub

Como Investir no Mercado Imobiliário? Conheça as Construtechs e Condotechs

como investir no mercado imobiliário

Aplicar em imóveis pode representar excelentes retornos a longo prazo. Mas, você sabe como investir no mercado imobiliário?

Muitos investidores já possuem aplicações imobiliárias em seu portfólio. Mas adicionar outros investimentos desse setor pode ajudá-lo a diversificar seu portfólio e protegê-lo da volatilidade do mercado de ações.

Para quem está iniciando no mundo dos investimentos esse pode ser um ótimo setor para começar.

A seguir, confira algumas formas de investir no Mercado e conheça melhor as Construtechs e Condotechs, que são tendência para o segmento.  

As melhores formas de investir no Mercado Imobiliário

Há uma grande variedade de formas de investir em imóveis, desde a posse de imóveis para aluguel até o financiamento de startups de tecnologia do setor, as chamadas Construtechs e Condotechs.

A seguir, confira as formas mais comuns de investir no Mercado Imobiliário:

1. REITs (Real Estate Investment Trusts)

Primordialmente, muitas vezes comparados aos fundos mútuos, os REITs são empresas que possuem imóveis comerciais, como prédios de escritórios, espaços de varejo, apartamentos e hotéis. Eles permitem que você invista em imóveis sem os imóveis físicos. 

Os REITs tendem a pagar altos dividendos. Os investidores que não precisam ou não querem retirar os rendimentos podem reinvestir automaticamente esses dividendos para aumentar ainda mais seu investimento.

Os REITs são um investimento variado e complexo. Alguns são negociados na bolsa como uma ação. Outros não são negociados publicamente. Os novos investidores geralmente devem se ater a REITs negociados publicamente, que você pode comprar por meio de corretoras.

2. Crowdfunding Imobiliário

O Crowdfunding Imobiliário é uma estratégia que permite às startups levantar capital de um grande grupo de investidores. É feito através de plataformas online que proporcionam um ponto de encontro/mercado entre promotores imobiliários e investidores interessados.

Em troca de seu dinheiro, os investidores recebem dívida ou patrimônio em um projeto de desenvolvimento e, em casos de sucesso, distribuições mensais ou trimestrais.

Nem todas as plataformas de crowdfunding imobiliário estão disponíveis para todos: muitas são reservadas para investidores credenciados, ou seja, empresas e/ou indivíduos altamente experientes.

Por meio desses sites, você cria uma conta e seleciona uma estratégia de portfólio com base em seus objetivos, com corretores diversificando seu dinheiro em uma série de fundos de investimento. Você também pode selecionar investimentos por conta própria, acompanhando seu progresso por meio de um painel online em tempo integral.

Apesar de sua conveniência, as ofertas de crowdfunding apresentam riscos consideráveis. Como investimentos privados, eles não são vendidos tão facilmente quanto outros títulos negociados publicamente, como ações.

Assim, pense em seus fundos a longo prazo. Recomenda-se que os investidores tenham um horizonte de tempo de pelo menos cinco anos, por exemplo.

3. Fundos de Investimento Imobiliário

Os fundos de investimento imobiliário são ideais para pessoas que desejam possuir imóveis de aluguel sem os aborrecimentos de administrá-los. Contudo, investir nesses fundos requer um colchão de capital e acesso a financiamento.

Esses fundos mútuos investem em imóveis para aluguel.

Em um típico grupo de investimento imobiliário, uma empresa compra ou constrói um conjunto de blocos de apartamentos ou condomínios e permite que os investidores os adquiram por meio da empresa, juntando-se assim ao grupo.

Um único investidor pode possuir uma ou várias unidades de espaço habitacional independente, mas a startup que opera o grupo de investimento gerencia coletivamente todas as unidades, cuidando da manutenção, anunciando vagas e entrevistando inquilinos.

Em troca da realização destas tarefas de gestão, a empresa recebe uma percentagem da renda mensal.

Um arrendamento padrão de grupo de investimento imobiliário está em nome do investidor e todas as unidades compartilham uma parte do aluguel para se proteger contra vagas ocasionais. Assim, você receberá alguma renda mesmo que sua unidade esteja vazia.

Essas são algumas das opções mais comuns para investir no mercado imobiliário, além do tradicional investimento em imóveis próprios para aluguel ou ainda o aluguel por temporada, através de plataformas e aplicativos.

Conheça as Construtechs e Condotechs

Um setor que tem se mostrado uma tendência bastante promissora no mercado imobiliário são as startups de Tecnologia da Construção, as chamadas Construtechs e Condotechs.

Os conceitos de construtech e condotech vem ganhando um destaque significativo no Brasil ao longo dos últimos anos. Esse fenômeno é reflexo da evolução do ecossistema de inovação no segmento, assim como da popularização que ocorreu em outros países como  EUA, Reino Unido, Alemanha, China, entre outros.

Para se ter uma ideia do crescimento deste tipo de startups no Brasil basta considerar que, em 2018 elas representavam 3.5% do total de iniciativas ativas no país. Já em 2020 esse número chegou a 5.5%. Isso demonstra uma forte expansão vertical do setor.

A grande expansão das Construtechs e Condotechs reflete, naturalmente, no crescimento da atenção de investidores para o segmento. Dados da Sling Hub indicam que  o volume de investimentos nesse tipo de startups saltou de pouco menos de R$ 500 milhões em 2018 para mais de R$ 1.8 bilhões em 2019.

Como investir no Mercado Imobiliário de Construtechs e Condotechs?

Como você deve ter concluído, investir em startups no setor da tecnologia da construção e mercado imobiliário pode ser uma excelente iniciativa e proporcionar retornos grandiosos.

Contudo, assim como funciona em todos os tipos de investimento, esse mercado envolve riscos. Nesse sentido, o ideal para quem quer começar a se  aventurar nesse setor, é ter uma boa compreensão de como funciona o universo de venture capital.

Entre os conhecimentos desejáveis está, por exemplo, o entendimento do nível de risco que se está disposto a correr. Ainda é necessário estabelecer uma estratégia de portfólio e analisar os prós e contras de fazer investimento direto.

Por outro lado, você pode optar por investir através de um fundo, contando com a consultoria de especialistas nesse tipo de negócios. Avaliar essas condições e a forma como investir no mercado imobiliário são primordiais para reduzir a chances de você desperdiçar recursos.

Desse modo, se você deseja saber mais sobre como investir no Mercado Imobiliário, entre em contato com o time de especialistas Booming e descubra como podemos te ajudar.

Maria Oliveira

Maria Oliveira

Gostou? Deixe um comentário!

Inscreva-se em nossa newsletter